Lesões no Futebol

O futebol, além de ser o esporte mais praticado no mundo, é considerado uma atividade de alto risco para lesões. As frequentes mudanças de direção, os sprints em velocidade máxima e o contato quase que contínuo com os atletas adversários fazem com que as lesões traumáticas sejam frequentes. Por outro lado, a demanda física é bastante elevada, fazendo com que as lesões por esforços repetitivos, ou overuse, também sejam comuns.

Lesões traumáticas

As lesões traumáticas que mais preocupam no futebol incluem:

  • Lesões musculares
  • Entorses do joelho
  • Entorses do tornozelo
  • Concussão
  • Lesões musculares

    As lesões musculares representam aproximadamente 45% das lesões no futebol e são a causa da perda de, ao menos, um treino ou jogo ao ano para cerca de 40% dos jogadores.

    Os quatro principais grupos musculares dos membros inferiores podem ser acometidos nos jogadores de futebol, em situações distintas:

    • Os isquiotibiais, que são os músculos posteriores da coxa, são lesionados durante corridas em velocidade máxima ou submáxima. É a lesão muscular mais comum no futebol;
    • O quadríceps, que é a musculatura da parte da frente da coxa, é lesionado na fase de aceleração dos sprints e, também, na preparação para o chute;
    • Os adutores, que são os músculos da parte interna da coxa ou virilha, são lesionados em movimentos de mudanças de direção;
    • A panturrilha é lesionada em movimentos de salto e, também, em corridas com velocidade máxima.

    As lesões musculares estão associadas a fatores como fadiga, carga excessiva de treino, preparação física inadequada, aquecimento pré-jogo inadequado e desequilíbrios de força entre grupos musculares opostos. Todos estes fatores de risco podem ser minimizados por um trabalho preventivo, o que é fundamental para quem quer jogar futebol. Para maiores informações, sugiro a leitura do artigo sobre Prevenção de lesões musculares.

    Entorses do joelho

    Os entorses do joelho são comuns no futebol, devido às frequentes mudanças de direção e ao contato físico quase que constante com atletas adversários. Podem levar a lesões bastante incapacitantes, como o rompimento do Ligamento Cruzado Anterior, que é a principal causa de indicação de cirurgia em jogadores de futebol ou o rompimento do Ligamento Colateral Medial do joelho.

    A lesão do Ligamento Cruzado Anterior acontece geralmente quando o atleta prende o pé no gramado e gira o corpo sobre o joelho. Fatores como o tipo de grama ou as características das travas das chuteiras podem levar a uma maior aderência entre o pé e a grama, favorecendo a ocorrência destas lesões. Além disso, fraquezas e desequilíbrios musculares específicos podem levar a uma perda no controle no movimento do joelho, sendo também um fator de risco para estas lesões.

    Discutimos a prevenção da lesão do Ligamento Cruzado Anterior em um artigo a parte.

    A lesão do Ligamento Colateral Medial é a lesão ligamentar mais comum no futebol, mais comum inclusive do que as lesões do Ligamento Cruzado Anterior. Na maior parte das vezes, se recupera completamente com o tratamento não cirúrgico, mas, no caso de lesões completas, o tempo de recuperação pode ser prolongado, de até dois a três meses.

    Lesões completas do Ligamento Colateral Medial, principalmente quando associadas a outras lesões, podem ter indicação cirúrgica. No caso de jogadores mais velhos (principalmente a partir dos 40 anos) a lesão do menisco torna-se uma preocupação crescente. Os meniscos podem também serem lesionados em jogadores mais novos, mas neste caso geralmente estão associadas a outras lesões, como o rompimento do Ligamento Cruzado Anterior.

    Entorses do tornozelo

    O entorse do tornozelo representa cerca de 35% de todas as lesões no futebol, perdendo em frequência apenas para as lesões musculares. Aproximadamente 50% dos casos ocorrem após o contato com outro atleta, com os outros 50% ocorrendo em decorrência de movimentos com mudanças de direção.

    A maior parte dos casos são relativamente simples e se resolvem em até 01 semana, mas alguns atletas podem levar mais de três meses de afastamento dos campos. Os casos mais graves podem estar associados a lesões da cartilagem articular e podem levar a uma instabilidade persistente. Principalmente no caso de atletas competitivos, pode-se considerar o tratamento cirúrgico nestes casos.

    Concussão cerebral

    Concussões cerebrais são perturbações temporárias do funcionamento cerebral, que ocorrem em decorrência de traumas na cabeça. Podem levar a uma lentificação no pensamento, déficit de atenção, irritabilidade e até mesmo a uma maior agressividade.

    Pior do que isso, a eventualidade de um segundo trauma na cabeça (o que não é algo improvável no futebol) pode levar a uma lesão de maior gravidade e a sequelas permanentes. Assim sendo, o jogador deve ser retirado de campo imediatamente em caso de suspeita de concussão.

    Overtraining e lesões por esforços repetitivos

    O overtraining e as lesões por esforços repetitivos também são comuns em jogadores de futebol. Entre as lesões mais frequentes no esporte, devemos considerar:

    • Pubalgia
    • Cãibras
    • Dor muscular tardia pós-treino
    • Pubalgia

    A pubalgia caracteriza-se pela dor na região púbica ou virilha. Diversas causas podem levar a estas dores, de forma que o diagnóstico e o tratamento devem sempre ser avaliados caso a caso. A principal causa, no jogador de futebol, é um desequilíbrio entre a musculatura adutora da coxa, geralmente fortes no jogador de futebol, e uma musculatura abdominal fraca.

    Este desequilíbrio pode levar a uma força de cisalhamento na sínfise púbica e, com o tempo, pode resultar em desgaste e dor. Discutimos mais sobre isso em um artigo específico sobre a pubalgia.

    Cãibra

    A cãibra induzida pelo exercício é uma contração muscular involuntária decorrente de uma disfunção neuromuscular. A principal causa para isso são os desequilíbrios hidroeletrolíticos que ocorrem em função da perda de água e sódio pelo suor. Ela é uma das principais causas para atendimento a jogadores durante uma partida, ocorrendo predominantemente no final da partida.

    Alguns jogadores suam mais e alguns apresentam o suor com maior concentração de sódio, o que predispõe à ocorrência de cãibras. Jogos em ambientes quentes e úmidos levam a uma maior taxa de suor, o que também favorece a ocorrência das cãibras.

    O planejamento adequado da hidratação, eventualmente com o uso das bebidas esportivas, ajudará na prevenção das cãibras. Falamos disso com mais detalhe no artigo sobre a hidratação do atleta.

    Dor muscular tardia pós treino

    A dor muscular tardia pós-treino é um problema comum no futebol. Em alguns casos, pode ser difícil de se diferenciar de uma lesão muscular. Geralmente ela se inicia dentro de 6 a 8 horas após a atividade física e atinge sua intensidade máxima entre 24 a 48 horas após o exercício. A inflamação no músculo é um dos principais gatilhos para a dor.

    A melhor forma de se evitar a dor é através do controle da carga de treino e, também, pelas medidas de recuperação pós-treino. Uma preparação física adequada permite ao atleta uma maior tolerância com a intensidade que se exige do atleta no futebol moderno.

    Futebol feminino

    Tudo o que foi discutido até aqui seja válido tanto para o futebol masculino como para o feminino, mas, ao se avaliar uma jogadora, devemos levar em consideração alguns outros aspectos próprios da mulher. O risco de lesões é diferente, tanto em decorrência das características intrínsecas do corpo feminino como das diferenças nas características do jogo e da estrutura oferecida para as mulheres em comparação aos homens.

    Estes aspectos são discutidos no artigo sobre a mulher atleta e, mais especificamente, no artigo sobre lesões no futebol feminino.

    Prevenção de lesões no futebol

    O futebol é, certamente, o esporte em que as lesões são melhor estudadas. Diversos programas de prevenção são amplamente difundidos, sendo o mais conhecido deles o FIFA 11+, desenvolvido pela entidade máxima do futebol. O programa consiste em uma série de exercícios que buscam corrigir os desequilíbrios e fraquezas musculares mais envolvidos com as lesões em jogadores de futebol.

    Estudos comprovam a eficácia do programa na prevenção de lesões graves como a do Ligamento Cruzado Anterior ou as lesões musculares. A grande vantagem do FIFA 11+ é a acessibilidade, uma vez que pode ser feito pelo treinador ou até mesmo pelo próprio atleta sem a necessidade de testes ou exames específicos e sem a necessidade de profissionais especializados.

    Ainda assim, ele possui algumas limitações:

    • Ainda que haja um padrão comum ao esporte, os atletas são diferentes. Não necessariamente os desequilíbrios e fraquezas abordados pelo programa estarão presentes em cada atleta individualmente;
    • A prevenção de lesões no futebol envolve, de fato, muito mais do que uma série de exercícios para a correção de eventuais fraquezas.

    Sempre que possível, portanto, o programa de prevenção deve ser planejado de forma individualizada, buscando corrigir todos os fatores de risco identificados em uma avaliação também individualizada.

    Tanto os fatores de risco mais comumente envolvidos com as lesões no futebol como as eventuais medidas de prevenção de lesões são discutidas no artigo sobre a Prevenção de lesões no futebol.
Contato
(11) 98865-7635
Whatsapp