Prevenção de lesões esportivas

A perda de um único dia de treino ou jogo de um jogador de futebol de elite pode representar um prejuízo na casa dos milhões para o seu clube. Isso justifica o alto investimento das equipes em seus departamentos médicos, visando não apenas o tratamento, mas também a prevenção de lesões.

Para atletas que não possuem, digamos, o mesmo “valor de mercado” e a mesma visibilidade, as lesões podem ser igualmente devastadoras, e a prevenção de lesões igualmente importante, quando encarada do ponto de vista individual.

Quais as lesões que podem ser prevenidas?

Os movimentos repetitivos característicos de cada modalidade esportiva, estimulando sempre os mesmos grupos musculares, favorecem o desenvolvimento de desequilíbrios e descompensações musculoesqueléticas. Estes desequilíbrios, por sua vez, aumentam o risco para grande parte das lesões esportivas, entre elas:

• Lesões decorrentes de sobrecarga / esforços repetitivos, como a dor lombar, tendinites e fraturas por estresse;

Lesões musculares;

• Lesões traumáticas, como o rompimento do Ligamento Cruzado Anterior ou o entorse do tornozelo, estão muitas vezes relacionados a um movimento errado da perna ou uma deficiência muscular. A melhora do padrão de movimento não vai impedir o trauma, mas ajuda a minimizar os efeitos do mesmo sobre o atleta.

A correção destes desequilíbrios e descompensações musculoesqueléticas dentro da necessidade individual de cada atleta é a forma mais importante de prevenção de lesões, independentemente do nível de prática esportiva. Esta necessidade deve levar em consideração a demanda específica da modalidade praticada pelo atleta.

Preparação física

Os programas de prevenção de lesões buscam compensar eventuais descompensações musculoesqueléticas decorrentes da prática esportiva. Não se destinam a prover uma preparação física mais global. Para que os programas de prevenção de lesões possam surtir o efeito desejado, é importante, antes de mais nada, que a atividade física do atleta esteja condizente com seu condicionamento físico.

Jogar futebol nos finais de semana (uma atividade de alta demanda física) mantendo-se sedentário no restante do tempo ou correr uma maratona quando se está muito acima do peso, são situações que favorecem o desenvolvimento de lesões e que devem ser abordados por um programa de condicionamento físico geral, mais do que um programa específico de prevenção de lesões.

Programas de prevenção

A prevenção de lesões pode tanto ser feita tanto por meio de uma avaliação individualizada como através de um trabalho voltado para um conjunto de atletas de uma mesma modalidade esportiva.

Programas de prevenção individuais

Idealmente, a prevenção de lesões esportivas deve ser individualizada com base nas necessidades individuais de cada atleta observados a partir de uma avaliação sistematizada e que leve em consideração a demanda específica do mesmo. Assim, a mesma mobilidade do quadril pode ser considerada adequada para um jogador de futebol e inadequada para uma bailarina.

Esta é uma realidade já bem estabelecida nos grandes clubes e equipes esportivas (principalmente no futebol). Os atletas são regularmente submetidos a avaliações de força muscular, saltos, mobilidade articular e composição corporal, entre outros. A partir disso, é prescrito um programa individualizado de exercícios preventivos.

A mesma avaliação está disponível para atletas recreativos em clínicas especializadas, ainda que isso seja uma realidade distante para grande parte dos atletas recreativos ou entidades esportivas de menor poder aquisitivo.

Programas de prevenção por modalidade esportiva

Diversos programas de prevenção de lesões foram desenvolvidos para serem aplicados a atletas de modalidades específicas. O mais conhecido é o FIFA 11+, desenvolvido pela FIFA para a prevenção de lesões em jogadores de futebol, em todos os níveis de competição. Estes programas se baseiam na identificação das lesões mais comuns naquela modalidade, com exercícios que comprovadamente ajudem a reduzir estas lesões.

Estes programas têm uma série de vantagens:

• São bastante abrangentes, uma vez que podem ser orientados pelo treinador ou até mesmo feitos pelo próprio atleta, sem supervisão, antes do treino. Muitos dos atletas que não se dispõem a fazer uma avaliação individualizada (seja por questão financeira, por disponibilidade de tempo ou mesmo pela simples falta de iniciativa), mas acabam sendo impactados por estes programas;

• São de baixo custo, uma vez que não dependem da avaliação individual de cada atleta;

• Apresentam maior embasamento científico, uma vez que o mesmo programa é aplicado a um grupo grande de atletas e, assim, torna possível comprovar sua eficácia a partir do acompanhamento da incidência de lesões.

O fato de ser baseado nas necessidades mais frequentemente observadas nos atletas daquela modalidade, porém, não garante que reflitam as necessidades específicas do atleta em questão. Por isso, sempre que possível o ideal é que o atleta passe em uma avaliação médica individualizada e que, assim, seja montado um programa preventivo que corresponda às suas necessidades individuais.

Eficácia dos programas de prevenção de lesões

A eficácia dos programas de prevenção de lesões pode ser mensurada principalmente naqueles que impactam um número significativo de pessoas. O mais estudado, sem dúvidas, é o FIFA 11+.

Estudos demonstram que o FIFA 11+ é capaz de reduzir em 30% o número de lesões no futebol, e em até 50% no número de lesões de maior gravidade, como o rompimento do Ligamento Cruzado Anterior.

Ainda que a comprovação seja difícil, é de se supor que programas de prevenção bem elaborados com base em uma avaliação individualizada sejam ainda mais eficazes.
Contato
(11) 98865-7635
Whatsapp