Exames laboratoriais no atleta

A importância dos exames laboratoriais no atleta é como regra geral semelhante ao da população em geral, servindo para avaliar o estado geral de saúde, eventuais desequilíbrios que ainda não tenham se manifestado clinicamente ou para a investigação clínica em decorrência de eventuais queixas do atleta.

A interpretação dos exames também precisa ser criteriosa, uma vez que fatores como jejum, horário da coleta, prática de atividade física recente, estado de hidratação e a técnica de coleta podem comprometer o resultado dos testes.

Principais exames solicitados para o atleta

O esporte promove maior desgaste físico e maior estresse sobre praticamente qualquer órgão ou sistema do corpo, de forma que tem influência sobre o resultado de muitos dos exames comumente solicitados. Alguns exames serão solicitados para todos os atletas, outros devem ser considerados de acordo com o nível competitivo, idade, gênero, presença de comorbidades e eventuais queixas do atleta.

Painel hormonal

Hormônios sexuais: Independentemente de qual o seu condicionamento físico e quais as suas pretensões com o esporte, um dos principais determinantes para que o atleta consiga atingir seus objetivos é o equilíbrio de seus hormônios sexuais. Estes hormônios desempenham um papel importante na regulação da saúde sexual, fertilidade, composição corporal e, em última análise, desempenho atlético. Queixas como fadiga, problemas com sono e depressão também podem ser influenciados por eles.

Testosterona SHBG LH e FSH

Prolactina Estradiol

Cortisol

O cortisol é um hormônio fundamental que ajuda a mobilizar nutrientes para a geração de energia. É um hormônio catabólico com função oposta à testosterona. O cortisol aumenta durante a atividade física e, sem ele, o atleta ficará sem energia para desempenhar suas funções. Por outro lado, o excesso de cortisol pode ser indicativo de um estado de estresse crônico e overtraining, impedindo entre outras coisas o ganho de massa muscular.

Cortisol Relação Testosterona / Cortisol

Hormônios da tireoide

A glândula tireóide produz hormônios que regulam o crescimento e o gasto de energia. Os distúrbios da tireoide são bastante comuns em atletas e não atletas e muitas pessoas não apresentam nenhum sintoma ou apresentam sintomas que são facilmente atribuídos a outras causas, como fadiga, sonolência, problemas de humor ou dificuldades para ganho ou perda de peso.

TSH e T4L

Vitamina D

A vitaminada D é naturalmente produzida na pele na presença de exposição solar e é fundamental para a saúde dos ossos

Vitamina D

Glicose

A glicose é a principal fonte de energia durante a prática esportiva. O corpo possui diversos mecanismos para manter os níveis de glicose no sangue relativamente constante, sendo que tanto o excesso de glicose como sua falta serão prejudiciais para o atleta. O excesso de glicose no sangue caracteriza a diabetes.

Glicemia de Jejum e Hemoglobina Glicada (HbA1c)

Colesterol

Os lipídios e o colesterol são substâncias necessárias para uma boa saúde, mas que quando em excesso pode se depositar nas paredes das artérias. As escolhas de estilo de vida, incluindo dieta, exercícios e ingestão de álcool, podem influenciar os níveis de colesterol e o risco de desenvolver doenças cardíacas. Mesmo atletas aparentemente saudáveis podem em alguns casos apresentarem aumento do colesterol.

Perfil Lipídico (Triglicerídeos ,Colesterol, HDL, LDL, VLDL)

Hemograma, ferro e ferritina

O ferro é um elemento fundamental para o organismo. Ele compõe a hemoglobina, substância responsável pelo transporte de oxigênio no sangue e a mioglobina, responsável pelo transporte de oxigênio no músculo, além de diversas outras enzimas vitais. A ferritina é um dos exames usados para avaliar a deficiência nos estoques de ferro do organismo.

O hemograma avalia a composição do sangue e pode ser dividido em três partes: células vermelhas (hemácias), responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue; células brancas, que são as células de defesa do nosso organismo e plaquetas, responsáveis pela coagulação do sangue.

Hemograma completo Ferro e Ferritina

Função hepática (Fígado)

O fígado é responsável pela liberação de glicose, metabolismo e síntese das proteínas, emulsificação de gordura, destruição das células sanguíneas desgastadas e bactérias, entre outras funções.

Uso de medicamentos, hepatites virais e ingestão excessiva de bebidas alcoólicas estão relacionadas a um comprometimento da função hepática. Mas, de longe, o maior risco para os atletas é a hepatite tóxica por suplementos alimentares.

TGO e TGP Bilirrubina

Função renal

Os rins têm a função de filtrar o sangue e prover o equilíbrio de água e eletrólitos no nosso organismo, sendo por isso bastante exigido nos atletas.

Quando os rins não estão funcionando adequadamente, resíduos metabólicos eletrólitos como o sódio e o potássio e água podem se acumular e comprometer o desempenho esportivo e a recuperação pós treino. Além disso, pode levar a um aumento na pressão arterial e, em casos graves, pode comprometer a função cardíaca, dos músculos e outros órgãos do corpo.

Os exames de uréia e creatinina são os mais usados para a avaliação da função renal.

Ureia e Creatinina

Creatinoquinase (CK)

A creatinoquinase (CK) é uma enzima celular que é liberada no sangue na presença de dano celular. Quanto maior a duração e a intensidade do exercício, maior o dano muscular e maior será a elevação da CK. O exame é utilizado para monitorar o estresse muscular decorrente da atividade física, com o objetivo de ajustar a carga de treinamento, evitando-se o overtraining e reduzindo o risco de lesões.

Creatinoquinase (CK)
Contato