A osteotomia é uma cirurgia para a correção de mau-alinhamento dos membros inferiores. Este mal alinhamento pode ser de dois tipos:
  • joelho valgo: para dentro, “em X”
  • joelho valgo: para fora, “em ferradura”

O mau alinhamento pode ter diversas causas, como fraturas, artrose do joelho, ou como conseqüência de uma cirurgia, como a retirada do menisco.Pode também ser fisiológica, própria do paciente.

Na presença de deformidades ósseas, o esforço sobre o joelho acontece de forma assimétrica. Com isso, um dos lados da articulação fica exposto a forças de compressão. Já o outro lado fica exposto a forças de tensão. O lado exposto a forças compressivas é sobrecarregado. Assim, a deformidade tende a aumentar progressivamente.

Dessa forma, o objetivo da osteotomia é melhorar a distribuição de peso nas articulações, transferindo o esforço de uma área onde o joelho está mais comprometido para outra, onde o joelho está mais saudável. Com isso, espera-se uma melhora da dor, da função e da mobilidade do paciente.

A osteotomia pode ser realizada tanto no fêmur (osso da coxa) como na tíbia (osso da perna), dependendo da localização da deformidade.

Quando a osteotomia é indicada?

A osteotomia é indicada para pacientes com mau alinhamento do joelho associado a desgaste isolado de um dos compartimentos (medial ou lateral). O compartimento oposto e o compartimento patelofemoral devem estar preservados, sem desgaste significativo. Geralmente, a cirurgia é indicada para pacientes com menos de 60 anos, com boa mobilidade do joelho e peso dentro da normalidade.

Como é a técnica cirúrgica de osteotomia no joelho?

Na cirurgia, é realizado um corte controlado no osso, seguido da adição ou subtração de uma cunha óssea para a correção do alinhamento. No caso das cunhas de abertura, pode ser necessária a colocação de um enxerto (sintético ou do próprio paciente). A função do enxerto é de preenchimento do espaço e para estimular a consolidação do osso. Em seguida, o osso será estabilizado por meio de uma placa metálica e parafusos.

Quais os cuidados após a cirurgia de osteotomia?

Durante o período de consolidação da osteotomia, a descarga de peso deve ser protegida por meio de muletas. O paciente poderá colocar o pé no chão, com parte do peso no pé e parte nas muletas.

No início, o apoio é mais nas muletas e menos no pé. Gradativamente, o peso poderá ser transferido mais para o pé e menos para as muletas, que poderão ser dispensadas cerca de dois meses após a cirurgia. Geralmente, a consolidação completa demora entre 8 e 12 semanas. Neste período, a fisioterapia ajudará a recuperar o movimento e a força da musculatura.

Geralmente, a consolidação completa demora entre 8 e 12 semanas. Neste período, a fisioterapia ajudará a recuperar o movimento e a força da musculatura.

Qual o resultado esperado com a osteotomia?

A osteotomia não cura o desgaste do joelho. Ela apenas transfere o peso que antes era apoiado predominantemente no compartimento mais comprometido para uma área onde a cartilagem está mais preservada. O paciente tende a ter uma melhora significativa da dor. No entanto, isso não significa um joelho sem queixas.

Com o tempo, é esperado que o desgaste evolua e a dor volte a piorar, uma vez que o desgaste continua presente. Estudos demonstram que aproximadamente 30% dos pacientes precisam de uma nova cirurgia para colocação de prótese no joelho, em até 10 anos após a cirurgia de osteotomia. Em até 15 anos de osteotomia, este índice sobe para 50% dos pacientes e, em até 20 anos da cirurgia, o número chega a 70%.

Ainda assim, o joelho osteotomizado é funcionalmente superior ao joelho com prótese. Além disso, adiar a colocação da prótese até uma idade mais avançada aumenta a probabilidade de sucesso a longo prazo.

A osteotomia permite que o paciente retome suas atividades físicas habituais, até mesmo as que exigem bastante do joelho, como a corrida ou o futebol. Ainda assim, poucos pacientes voltam a jogar de forma competitiva no mesmo nível de antes.

O Dr. João Hollanda é ortopedista especialista em joelho e tem especial interesse e larga experiência com as osteotomias e outras cirurgias preservativas do joelho. Tem indicação para realizar uma osteotomia do joelho e precisa de uma segunda opinião? Agende uma consulta com o Dr. João, ou envie uma mensagem para ele.