Cãibra induzida por exercícios

O que é a cãibra induzia por exercícios?

A cãibra induzida por exercícios é definida como um espasmo muscular involuntário e doloroso que ocorre durante ou imediatamente após uma atividade física. A panturrilha é o principal grupo muscular acometido pelas cãibras, embora a musculatura anterior da perna, os isquiotibiais ou o quadríceps possam eventualmente ser acometidos. Após um primeiro episódio de cãibra, a tendência é que o quadro se repita caso a atividade física seja mantida.

A dor geralmente diminui após alguns minutos, mas às vezes pode durar até 10 minutos. Mesmo quando o atleta melhora, a cãibra pode voltar algumas vezes nos minutos seguintes e não é incomum que o atleta precise abandonar uma competição em decorrência de uma cãibra sustentada. Após o fim do exercício, o músculo pode ficar duro por até 24 horas.

A cãibra é mais frequente em atividades esportivas sustentadas que perduram por período prolongado (mais do que uma hora). Esta é a principal causa para a interrupção de partidas de futebol por motivo médico, sendo que 90% dos jogadores de futebol apresentam cãibras em algum momento da carreira.

O que causa a cãibra induzida por exercício?

Existem muitas teorias sobre porque a cãibra ocorre durante o exercício. Provavelmente, diferentes mecanismos podem influir no desenvolvimento delas.

No entanto, está se tornando cada vez mais claro que existem dois elementos principais (ainda que frequentemente questionados):

  • Desequilíbrio hidroeletrolítico: Durante a transpiração, o corpo perde líquidos e eletrólitos (principalmente sódio). Se estes não forem substituídos adequadamente, podem causar um desequilíbrio no corpo. A falta destes minerais faz com que a regulação das contrações e relaxamento muscular pelo sistema nervoso fique distorcido, dando origem às cãibras.
  • Disfunção neuromuscular: Com a fadiga muscular, a capacidade do corpo para regular o processo de estimulação e inibição muscular fica comprometido, podendo gerar um estado de “hiperexcitação”, em que o mecanismo responsável por “desligar” a musculatura após uma contração simplesmente não funciona.

Alguns atletas apresentam as cãibras com bastante frequência, enquanto outros não costumam desenvolver o problema. Podemos dizer que existe uma predisposição individual, genética, para ter cãibra.

Fatores de risco

Existem algumas situações que contribuem para o desenvolvimento da cãibra, sobre o qual devemos intervir no caso de atletas que sofram o problema com alguma regularidade.

Entre estes fatores, devemos considerar:

  • Condições climáticas que aumentem o suor
  • Atividades intensas mantidas por mais de uma hora
  • Retorno esportivo após férias ou lesão
  • Más condições físicas
  • Obesidade
  • Desidratação pré-treino
  • Outros fatores que contribuem para a fadiga, incluindo viagens, problemas com o sono ou alimentação.

Tratamento da cãibra induzida por exercícios

Infelizmente, não existe muito a ser feito além do alongamento durante o período em que durar o espasmo muscular. Gentilmente e lentamente, estique o músculo afetado e segure-o por alguns segundos até que relaxe. Você pode precisar fazer isso várias vezes até a cãibra desaparecer.

Preventivamente, a preparação física e a adequada reposição hidroeletrolítica durante o exercício contribuem para uma menor incidência de cãibras.
Contato
(11) 98865-7635
Whatsapp