Lesões do Menisco

Veja no vídeo as explicações do Dr João Hollanda a respeito de Lesões do Menisco:


O menisco é uma cartilagem que fica dentro do joelho, e que tem como principal função o amortecimento de cargas. Além disso, ajudam no “encaixe” do fêmur (osso da coxa) sobre a tíbia (osso da perna), aumentando a área de contato entre os dois ossos, e têm um papel secundário na estabilização do joelho. Cada joelho tem dois meniscos: um medial (na parte interna) e um lateral (na parte externa).

Lesões no Menisco

A maior parte das lesões ocorrem a partir dos 40 anos. Isso porque, nessa idade, já é esperado que haja algum grau de desgaste nos meniscos, tornando-os mais frágeis. Em geral, em pessoas mais jovens, as lesões no menisco ocorrem associadas a outras lesões, principalmente a do Ligamento Cruzado Anterior.

Tipos de lesão

Ainda que vista como uma lesão de importância secundária por médicos não especialistas, a compreensão da lesão do menisco e a decisão de tratamento é bastante complexa. Não é incomum que uma decisão cirúrgica inadequada leve a um resultado insatisfatório.

Para saber mais sobre dor após cirurgia de menisco, clique aqui

As lesões no menisco são muito diferentes umas das outras, e entender as características de cada lesão é fundamental para a indicação do tratamento e para determinar o prognóstico.

As lesões devem ser classificadas por diversos aspectos:

  1. Quanto ao menisco acometido: medial ou lateral

  2. Quanto a localização

    • Raiz, corno posterior, corpo, corno anterior

    • Centrais ou periféricas

  3. Quanto ao “formato” da lesão: vertical, horizontal, radial, em flap, em rampa, complexa, em alça de balde.

  4. Quanto ao mecanismo de lesão: traumáticas ou degenerativa

  5. Lesão de menisco discoide

  6. Extrusão meniscal

  1. Quanto ao menisco acometido

    A anatomia dos compartimentos medial e lateral do joelho são diferentes, da mesma forma que os meniscos medial e lateral também são diferentes: - O menisco lateral tem formato semicircular, enquanto o menisco medial tem formato semelhante à letra “c”.

    - O osso do compartimento medial, no qual o menisco medial se apoia, tem formato côncavo, enquanto o lateral, onde o menisco lateral se apoia, tem formato convexo;

    - O menisco medial tem uma forte fixação na cápsula articular e no ligamento colateral medial, sendo capaz de se mover apenas 2 a 5mm sobre a superfície óssea, enquanto o menisco lateral é mais solto, sendo capaz de mover de 9 a 11mm.

    Em função destas diferenças, as lesões do menisco medial são mais frequentes, porém as lesões do menisco lateral têm pior prognóstico, com maior risco de evolução para artrose.

  2. Quanto a localização

    As lesões podem acometer a raiz, o corno posterior, o corpo ou o corno anterior. Durante a avaliação do paciente, é importante identificar o local exato da dor e correlacionar com o local da lesão observada no exame de ressonância magnética, já que muitas lesões podem ocorrer de forma assintomática e serem descobertas incidentalmente ao se investigar uma dor que, no fundo, não está diretamente relacionada à lesão do menisco. O tratamento da lesão do menisco, nestes casos, não levará à melhora da dor e frustrará médico e paciente.

    Lesões no Menisco

    As lesões podem também estar localizadas mais para a periferia ou mais para o centro do menisco. Quanto mais periférica a lesão, maior a vascularização do menisco e melhor a condição para cicatrização. Desta forma, temos a tendência de realizar a sutura do menisco nas lesões periféricas(zona vermelha - vermelha), e a ressecção das lesões mais centrais(zona branca - branca).

  3. Quanto ao formato da lesão

    As lesões horizontais e as lesões complexas costumam estar associadas a um processo degenerativo do menisco. As lesões verticais e em flap são mais frequentemente relacionadas a traumas. Lesões em rampa são comumente associadas ao rompimento do Ligamento Cruzado Anterior, enquanto as lesões em alça de balde são altamente instáveis e costumam levar ao bloqueio do joelho.

    Lesão Radial
    Lesão Radial
    Lesão Vertical
    Lesão vertical
    Lesão Complexa
    Lesão complexa
    Lesão em Alça de Balde
    Lesão em alça de balde
    Lesão de Raiz do Menisco
    Lesão de raiz do menisco
  4. Quanto ao mecanismo de lesão

    Os meniscos sofrem um processo de degeneração com o avanço da idade, ficando mais suscetível a lesões. As lesões do menisco podem desta forma serem classificadas em traumáticas ou degenerativas:

    • Lesões no Menisco Nas lesões traumáticas os pacientes apresentam dor súbita após um trauma, frequentemente associado a um estalido. Apresentam queixa pontual e conseguem indicar com o dedo o local da dor que, de forma geral, coincide com o local da lesão observada em exames de imagens. Durante testes realizados pelo médico, eles apresentam ainda dor característica. Em alguns casos, principalmente quando ocorre uma lesão denominada “alça de balde”, o fragmento deslocado do menisco pode bloquear o joelho e inviabilizar seu movimento normal;

    • As lesões degenerativas estão associadas ao desgaste que ocorre no joelho como um todo. Aos poucos, esse desgaste vai fragilizando os meniscos até que, com um esforço mínimo, eles se rompem. Muitas vezes, os pacientes apresentam diversos pequenos pontos de lesão. Nas lesões degenerativas, o paciente não sabe ao certo definir quando a dor começou e o local exato dela no joelho. Todo o joelho dói (dor difusa) e, em alguns casos, inclusive durante os testes específicos feitos pelo médico. Também é comum as radiografias apresentarem algum grau de artrose.

    • A maior parte das lesões, porém, ficam em um espectro intermediário, com características tanto de uma lesão traumática como de uma lesão degenerativa. O exame de ressonância magnética pode ajudar na diferenciação, uma vez que cada uma delas apresentam características sugestivas neste exame.

Como é o tratamento da lesão do menisco?

Até pouco tempo atrás, os meniscos eram considerados estruturas de menor importância. Mesmo frente a pequenas lesões, era comum a retirada de todo o menisco, “para evitar problemas futuros”; hoje sabemos que os meniscos apresentam uma função primordial no joelho. Para “evitar problemas futuros”, devemos sempre que possível preservá-los. Reconhecer todas as características da lesão como descrito acima é de fundamental importância na escolha do tratamento.

Muitas lesões, principalmente aquelas de aspecto degenerativo, podem ocorrer de forma assintomática e serem descobertas incidentalmente ao se investigar uma dor que, no fundo, não está diretamente relacionada à lesão do menisco. A associação de artrose, lesões de cartilagem ou até mesmo fraquezas e desequilíbrios musculares é muito comum nestes pacientes e têm muito mais influência no desenvolvimento da dor do que a lesão no menisco em sí.

O tratamento cirúrgico do menisco, nestes casos pode ser bastante frustrante: a lesão é identificada durante a cirurgia, o procedimento é descrito inicialmente pela equipe médica como “bem sucedido” mas, a médio / longo prazo, a dor pode até piorar, em decorrência da perda da função do menisco, frustrando assim tanto a equipe médica como o paciente.

Tratamento não cirúrgico

Indicado em casos de lesões degenerativas ou lesões traumáticas estáveis, o tratamento não cirúrgico visa a melhora da dor no joelho, mesmo que isso aconteça sem a cicatrização dos meniscos rompidos. No fundo, o tratamento não cirúrgico tem como foco o tratamento das causas reais da dor, que podem ser lesões de cartilagem, artrose ou sobrecarga mecânica, considerando-se a lesão de menisco como secundária no desenvolvimento dos sintomas. De modo geral, o tratamento pode envolver o uso de medicamentos, infiltrações, fisioterapia, entre outros métodos, a serem discutidos caso a caso.

Lesões no Menisco Muitos pacientes apresentam lesões com características intermediárias e pode deixar dúvidas de qual sua real contribuição para o desenvolvimento da dor que o paciente está sentindo. Nestes casos, o médico deve iniciar o tratamento de forma não cirúrgica e avaliar a resposta do paciente. Se a dor melhorar, o tratamento poderá ser mantido. Caso contrário, o tratamento cirúrgico pode, então, ser indicado.

Tratamento cirúrgico

Usualmente, as lesões de meniscos são tratadas por meio da artroscopia. O procedimento consiste na visualização das estruturas internas do joelho, através de uma microcâmera introduzida no joelho. Nos casos das suturas de meniscos, outros cortes podem ser feitos, dependendo da técnica utilizada.

As lesões do menisco podem ser tratadas cirurgicamente de duas formas:

  1. Lesões no Menisco Ressecção da lesão (meniscectomia): neste procedimento, mais simples tecnicamente, o fragmento rompido é cortado e retirado, reduzindo o tamanho do menisco. A técnica permite um retorno mais precoce às atividades. Porém, a redução do menisco aumenta a sobrecarga sobre a cartilagem articular, elevando o risco futuro de desenvolvimento da artrose. Essa desvantagem aumenta proporcionalmente ao tamanho do fragmento a ser retirado;

    Para saber mais sobre a meniscectomia, clique aqui

  2. Lesões no Menisco Sutura do menisco: nesta técnica, o local lesionado recebe pontos, com o objetivo de estabilizar e permitir a cicatrização da lesão. A sutura deve ser o procedimento a ser escolhido sempre que possível.

    Para saber mais sobre a sutura do menisco, clique aqui

O Dr João é ortopedista especialista em joelho e médico da Seleção Brasileira de futebol Feminino. Tem especial interesse e larga experiência com a cirurgia de Lesões do Menisco do joelho. O processo de reabilitação pós-operatória é fundamental para o resultado final da cirurgia, e o Dr João já conduziu diversos atletas profissionais / olímpicos neste processo. Tem uma Lesões do Menisco do joelho e precisa de uma segunda opinião? Agende uma consulta com o Dr João, ou envie uma mensagem para ele.
Contato
(11) 98865-7635
Whatsapp