Joelho varo no adulto

O joelho em varo é uma forma de mau alinhamento do joelho que faz com que, olhando a pessoa de frente, os pés estejam juntos um com o outro e os joelhos afastados. Esta condição é também comumente referida como geno varo. Deve ser diferenciado do joelho valgo, condição em que os joelhos se aproximam e os pés se afastam.

Durante a primeira infância, é esperado que a criança apresente alinhamento em varo nos joelhos, que pode ser mais ou menos evidente. Com o crescimento, este alinhamento tende a ser corrigido naturalmente.

No adulto, idealmente, o centro do quadril deve estar alinhado com o centro do joelho e o centro do tornozelo, de forma a garantir que o peso seja adequadamente distribuído nas articulações. Nesta condição, o joelho é considerado neutro (nem varo nem valgo).

O que causa o joelho varo?

O joelho varo no adulto pode ser fisiológico ou patológico.

  • Joelho varo fisiológico: Representa uma característica própria do paciente: da mesma forma que algumas pessoas são altas e outras baixas, algumas são loiras e outras morenas, o joelho também não é igual em todas as pessoas. Na maior parte das vezes, o desalinhamento é leve e sem maiores consequências, mas algumas pessoas podem ter um varo significativo e, ainda assim, ser considerado o normal dela.
  • Joelho varo patológico: São casos em que o alinhamento em varo é consequência de algum outro problema no joelho. As causas mais comuns são a artrose no joelho, a lesão no menisco medial, lesões ligamentares (principalmente a associação de lesão do Ligamento Cruzado Anterior com o canto posterolateral do joelho) e as fraturas.Vale, aqui, considerar que a artrose e as lesões nos meniscos ou ligamentos podem ser tanto a causa como a consequência de um joelho varo.

Imagens de paciente com joelho varo em decorrência de artrose no joelho com acometimentno principal do compartimento medial da articulação

Consequências do joelho varo

Na presença de um alinhamento do joelho em varo, ao invés de o peso ser distribuído uniformemente no joelho ele se concentra apenas no compartimento interno da articulação, o que tem inúmeras consequências, tais como:

  • A parte interna do joelho, exposta a forças aumentadas, se desgasta mais rapidamente e torna-se dolorido;
  • Os ligamentos podem ficar alongados na parte externa do joelho (ligamento colateral lateral) e encurtados na parte interna (ligamento colateral medial);
  • A função muscular fica alterada, o que tem consequências sobre o movimento e a estabilidade do joelho;
  • Pode alterar a distribuição de forças em outras articulações do membro inferior e na parte inferior das costas, que podem se tornar sintomáticas.

Diagnóstico do joelho varo

O diagnóstico do joelho varo deve ser feito clinicamente, por meio da análise do paciente de frente e mantendo os pés paralelos e descalços, com o membro descoberto.

A avaliação clínica também ajuda na diferenciação entre joelho varo fisiológico e joelho varo patológico. O varo fisiológico tende a ser bilateral (acomete as duas pernas) e indolor. O paciente refere que sempre teve aquele alinhamento nos joelhos. Já o joelho varo patológico tende a ser doloroso e assimétrico (um joelho diferente do outro).

A história clínica e o exame físico podem, por fim, ajudar na identificação da lesão primária. Dependendo-se do que se suspeita no exame clínico, exames de imagem deverão ser solicitados.

  • Radiografias: a radiografia simples do joelho é o melhor exame para a identificação de eventual artrose na parte interna do joelho (característico do joelho varo) e também o desgaste nos outros compartimentos. O exame deve ser feito com carga, ou seja, com o apoio do peso sobre o joelho envolvido.

    A radiografia da esquerda mostra um joelho neutro, com o espaço articular preservado. A imagem da direita mostra um joelho varo em decorrência de artrose, com perda assimétrica do espaço articular medial (interno).
  • Ressonância magnética: ajuda na identificação de eventual lesão no menisco ou nos ligamentos do joelho.
  • Radiografia panorâmica dos membros inferiores: radiografia usada para avaliar objetivamente o alinhamento do joelho. Deve incluir os dois membros, desde o quadril até o tornozelo, e deve ser feita com o paciente em pé. Esta radiografia ajuda a identificar qual o grau do desalinhamento e qual o osso responsável pelo desalinhamento (geralmente a tíbia). É fundamental para a avaliação do paciente em que se considera uma cirurgia de realinhamento.

Uma dica prática: muitas clínicas e laboratórios que realizam radiografias simples não fazem a panorâmica, já que o aparelho não é capaz de incluir todo o membro em um único filme. Assim, caso você tenha uma solicitação para realizar uma radiografia panorâmica dos membros inferiores, certifique-se de que o laboratório é capaz de realizar este tipo específico de radiografia.

Tratamento do joelho varo

O joelho varo leve a moderado, simétrico e indolor e sem lesões associadas que, por sinal, envolve a maioria dos casos, deve simplesmente ser acompanhado, não exigindo qualquer tratamento específico. O uso de órteses e palmilhas foi prescrito, nestes casos, por muito tempo, mas se mostraram ineficazes em prevenir ou evitar a evolução da deformidade.

Podem ser indicadas nos casos associados à dor e à artrose na parte interna do joelho, mais com o objetivo de melhorar a dor do que de evitar a evolução da deformidade. O controle do peso corporal também é fundamental nestes pacientes.

Osteotomia tibial valgizante

A osteotomia tibial valgizante é um procedimento cirúrgico que visa o realinhamento do membro. O osso é cortado (como se tivesse sido quebrado), posicionado em um melhor alinhamento e, então, fixado com o auxílio de uma placa metálica e parafusos.

A osteotomia não cura a artrose, mas, ao prover um melhor alinhamento, propicia, também, a melhora nos sintomas, retarda a evolução do desgaste e do desalinhamento e permite o adiamento de uma cirurgia mais definitiva, como a prótese total de joelho.

Este procedimento é indicado, principalmente, no caso de pacientes jovens e ativos. Pode, ainda, ser indicado em associação com outros procedimentos, como a reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior.

Discutimos as especificidades desta cirurgia em um artigo específico sobre osteotomia no joelho.

Prótese de joelho

A colocação de uma prótese no joelho tende a ser uma melhor opção no paciente mais idoso e com menor demanda, por diversos motivos:

  • É um procedimento definitivo e que aborda a causa do problema, que é a artrose;
  • Permite a correção do desalinhamento no joelho;
  • O paciente mais idoso tende a apresentar um acometimento mais global do joelho, não apenas do compartimento interno, de forma que o resultado de uma osteotomia no joelho tem maior probabilidade de não prover o alívio desejado da dor

Discutimos as especificidades desta cirurgia em um artigo específico sobre prótese de joelho.

Por outro lado, quando realizada em um paciente jovem e ativo, o risco de falha e necessidade de troca da prótese, no longo prazo, será maior. Além disso, funcionalmente, a osteotomia no joelho tende a ter melhor resultado no paciente mais jovem e ativo.
Contato
(11) 98865-7635
Whatsapp