Trombose Venosa e Embolia Pulmonar

Home / Trombose Venosa e Embolia Pulmonar

Trombose Venosa e Embolia Pulmonar

A Embolia Pulmonar decorrente da Trombose Venosa Profunda (TVP) é a principal causa de morte evitável em pacientes internados. A trombose consiste no entupimento de uma veia por um coágulo – também chamado de trombo, levando assim à interrupção parcial ou total do fluxo sanguíneo no local. Sem profilaxia, um em cada quatro pacientes com idade superior a 40 anos, submetidos a cirurgia geral com mais de uma hora de duração desenvolverão trombose venosa profunda.

A trombose está associada a alterações na parede dos vasos sanguíneos, alterações na circulação do sangue ou alterações nas características do sangue propriamente ditas, ou a uma associação entre estes fatores. Além disso, existe uma predisposição genética para o desenvolvimento da trombose.

Clinicamente, a TVP caracteriza-se por dor e aumento de volume do membro desproporcional ao que se espera como resultado da cirurgia e pela presença de veias dilatadas sob a pele. Até 50% dos casos, porém, evoluem de forma assintomática. Na suspeita de TVP, o diagnóstico pode ser confirmado por meio de ultrassom Doppler.

A complicação aguda desta doença, que é séria e pode ser mortal, é a embolia pulmonar (EP), que ocorre quando parte do trombo se desprende e chega aos pulmões. Cronicamente, a trombose venosa recorrente e a hipertensão venosa crônica caracterizam-se por quadros incapacitantes que podem acometer até 50% dos pacientes que desenvolvem TVP.

Fatores de risco

Entre os principais fatores de risco para TVP incluem-se Idade acima de 55 anos, Tabagismo, Varizes / Insuficiência venosa periférica, uso de Anticoncepcional hormonal, terapia de Reposição Hormonal, obesidade, Abortamento recorrente, histórico de Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico, Câncer e certas doenças crônicas. Pacientes com as condições listadas acima devem ter especial atenção com a prevenção de trombose.

Prevenção

Em pacientes cirúrgicos, o risco de desenvolvimento de TVP depende:
• Idade do paciente
• Tipo de cirurgia
• Presença de fatores de risco associados.

A trombose pode ser prevenida por meios mecânicos, como a mobilização precoce e o uso de meias de compressão, ou com o uso de medicamentos. O uso de medicamentos anti-trombóticos deve levar em conta também os possíveis riscos implicados no seu uso, em especial o risco de sangramento, e a decisão entre usar ou não usar as mesmas deve ser feita pelo médico assistente ao se balancear os fatores de risco para sangramento X fatores de risco para Trombose.

Pacientes jovens, sem fatores de risco adicionais e submetidos a procedimentos de pequeno porte, não necessitam de profilaxia medicamentosa específica. Já os pacientes idosos, principalmente na presença de fatores de risco, ou submetidos a procedimentos de grande porte como as artroplastias de quadril ou joelho, apresentam maior risco e devem ser medicados na ausência de contra-indicações.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

WhatsApp chat