Osteotomia do Tuberosidade da Tibia

A tuberosidade da tíbia é uma proeminência óssea localizada na parte da frente do joelho, no local de fixação do tendão patelar. A Osteotomia do Tuberosidade da Tibia é um procedimento cirúrgico que tem por objetivo melhorar o alinhamento da patela. Isso é realizado alterando o ponto de fixação do tendão patelar na tíbia (tubérculo tibial).

Quem é candidato a uma osteotomia da tibia?

As osteotomias da tuberosidade da tibia são usadas no tratamento de pacientes que sofrem de luxação recidivante da patela ou dor femuropatelar (condromalacia da patela) associado a sinais de mau alinhamento da patela. Ao mover a tuberosidade da tíbia para uma posição mais interna no joelho, o desalinhamento da patela na tróclea (sulco do fêmur onde a patela se encaixa) é corrigido, eliminando os sintomas de instabilidade e diminuindo os sintomas da condromalácia.

Nos casos de luxação recidivante da patela, a osteotomia da tuberosidade da tibia geralmente é realizado em conjunto com a reconstrução do ligamento femoropatelar medial e, eventualmente, cirurgias para o reparo da cartilagem articular.

Como é realizada a osteotomia da tuberosidade da tíbia?

  1. O procedimento inicia-se com a realização de uma incisão na parte de frente do joelho, com aproximadamente 7 a 10 cm.
  2. É realizado um corte no osso, separando-se um seguimento de osso de aproximadamente 6cm incluindo a tuberosidade da tíbia.
  3. A tuberosidade da tíbia é rodada para a parte interna do joelho, ao que se denomina de medialização. A quantidade de medialização necessária será determinada pelo cirurgião com base nos exames pré-operatórios.
  4. Em casos de patela alta, a medialização da tuberosidade da tíbia pode ser associada a um rebaixamento da mesma.
  5. A tuberosidade é fixada com dois parafusos

Pós-operatório da osteotomia da tuberosidade da tíbia

Um imobilizador de joelho será utilizado no início da recuperação sempre que o paciente for caminhar. Este imobilizador poderá ser retirado para a realização de exercícios e quando o paciente não estiver apoiando o peso do corpo sobre o joelho. Não será necessário dormir com o imobilizador. Para auxiliar na caminhada, será indicado o uso de muletas, geralmente por um período de 6 a 8 semanas, quando parte do peso será colocado na perna e parte nas muletas. Após aproximadamente três meses, o paciente já se sentirá bem para a maior parte das atividades do dia a dia, mas o retorno esportivo só será permitido após aproximadamente 5 a 6 meses.

Contato