Luxação do joelho

A luxação do joelho ocorre quando os ossos da perna (tíbia e fíbula) são deslocados em relação ao osso da coxa (fêmur). A lesão de três ou dos quatro ligamentos principais do joelho (Cruzado Anterior, Cruzado Posterior, colateral Medial e Colateral lateral) é indicativo da ocorrência de uma luxação do joelho.

Esta é uma lesão grave, com risco de lesão dos vasos e nervos principais do joelho. Quando isso ocorre e não é prontamente identificado e tratado, existe inclusive o risco de perda da perna, de forma que a lesão deve ser prontamente avaliada em um serviço de emergência médica.

Avaliação clínica

Alguns pacientes chegam ao Pronto Atendimento com o joelho ainda fora do lugar, o que facilita o diagnóstico. Mas, em outros casos, o joelho volta sozinho para o lugar e a luxação pode passar desapercebida por um médico que não esteja atento aos sinais indiretos da luxação. Por isso, os médicos que atuam em serviços de pronto atendimento devem sempre se preocupar com esta possibilidade, principalmente após traumas de alta energia nos quais a dor e o edema sejam mais exuberantes do que o habitualmente visto nas lesões ligamentares simples. Uma vez que o diagnóstico da luxação do joelho tenha sido feito, é importante que se realize uma avaliação completa na busca por eventuais lesões associadas:

– Lesão da artéria poplítea: artéria responsável pelo suprimento sanguíneo abaixo do joelho, a poplítea atravessa a parte de trás da articulação. Quando lesionada, deve ser reparada cirurgicamente o mais breve possível. No caso de haver uma lesão e não ser feita a cirurgia dentro de poucas horas, é possível que o paciente evolua para amputação do membro afetado.

– Lesão do nervo fibular: nervo responsável por boa parte dos movimentos e da sensibilidade abaixo do joelho. Quando esse nervo é lesionado, o paciente pode ficar com o pé caído. Não é uma emergência médica, mas o prognóstico desta lesão é ruim e, em alguns casos, o nervo pode precisar ser abordado cirurgicamente.

– Lesões associadas em outras partes do corpo: as luxações são decorrentes de traumas graves, de forma que não é infrequente a associação com lesões em outras partes do corpo, como crânio, abdomen ou torax. As lesões do joelho podem desviar a atenção do médico dessas outras regiões. Portanto, é preciso que se realize um exame completo para não deixar que eventuais lesões associadas passem desapercebidas.

Tratamento

Tratamento inicial

- Realocação: O médico colocará sua perna de volta na posição, um processo chamado de redução. Idealmente a redução deve ser feita depois que o paciente receber medicação para a dor. A realocação é um passo inicial importante na reparação de danos nos nervos, vasos sanguíneos, ligamentos e outros tecidos do joelho. Isso geralmente é feito por médicos ortopedistas nos serviços de emergência.

- Cirurgia de urgência: Uma vez determinado que uma lesão arterial está presente, será indicada uma cirurgia imediata por um cirurgião vascular para reparar o(s) vaso(s) lesionados(s) e manter o fluxo sanguíneo na perna. Este procedimento deve idealmente ser realizado em até 6 horas após a chegada do paciente no serviço de emergência, de forma que a equipe de cirurgia vascular deve ser contactada tão logo se tenha a suspeita diagnóstica, antes mesmo da realização dos exames que possam confirmar ou descartar a lesão.

- Imobilização: O joelho deve ser imobilizado com órteses longas para o joelho, para evitar mais lesões e para ajudar no início da cicatrização. O paciente deverá ainda fazer uso de muletas sem apoio na perna lesionada.

- Encaminhamento: Feita esta avaliação inicial, o paciente deve ser encaminhado para um ortopedista especialista em joelho, para avaliar quais os grupos ligamentares envolvidos e para a programação cirúrgica.

Tratamento definitivo

Quase todas as luxações do joelho requerem cirurgia de reconstrução, devido à lesão ligamentar grave. Após tratamento e cirurgia adequados, no entanto, os resultados costumam ser satisfatórios, com recuperação da mobilidade e da estabilidade, o que não significa um joelho normal e sem qualquer queixa de dor. O retorno esportivo é possível na maior parte dos pacientes, mas dificilmente com o mesmo nível de competitividade. A indicação cirúrgica depende de quais os ligamentos envolvidos na lesão, devendo ser definida após a avaliação por um ortopedista especialista em cirurgia do joelho. Frequentemente, mais do que um procedimento será necessário. A reabilitação pós-operatória é de extrema importância para o resultado final, de forma que o prognóstico será melhor quando o paciente dispõe de um bom serviço de fisioterapia.

Contato
(11) 940107988
Whatsapp