Lombalgia mecânica | Dr. João Hollanda

Lombalgia mecânica (inespecífica)

Muitos pacientes ficam inconformados pelo fato de apresentarem dor intensa nas costas e exames normais ou com alterações pouco específicas. Eventualmente, os exames demonstram alterações discais leves, e o médico diz que estes achados não justificam a dor.

De fato, a dor nas costas pode ser suficientemente intensa para impactar a rotina normal do paciente e impedir suas atividades laborais habituais. Pode ainda ter longa duração e, mesmo assim, não ter nenhuma causa específica além de uma sobrecarga.

A lombalgia inespecífica caracteriza-se pela ausência de alteração estrutural, ou seja, não há redução do espaço do disco, compressão de raízes nervosas, lesão óssea ou articular, escoliose ou lordose acentuada que justifiquem a dor na coluna.

O paciente tende a apresentar os seguintes sintomas:

• Dor em peso (com sensação de que o local da dor está “pesado”);

• Dor que piora com esforço físico (principalmente, à tarde) e reduz com repouso;

• Ausência de alterações neurológicas e postura inadequada;

• Em alguns casos, dor que irradia para a virilha, nádega ou parte superior da coxa, mas raramente passa para abaixo do joelho;

• O toque no local tende a ser bastante doloroso;

Em geral, a dor é pior entre 24 e 48 horas após a lesão e melhora gradualmente com o tempo. Pessoas sedentárias são mais propensas a desenvolverem lombalgia inespecífica, mas os atletas também podem apresentar o problema principalmente após um aumento na carga de treino.

A lombalgia inespecífica ocorre quando há um desequilíbrio entre a carga funcional (que é o esforço requerido para atividades da vida diária, do trabalho ou do esporte) e a capacidade funcional, que é o quanto a coluna está preparada para suportar estas atividades.

Em resumo: ou a atividade está sendo excessiva ou a coluna está muito fraca ou desequilibrada. Geralmente, há uma associação entre estas duas condições.

Desequilíbrios musculares do quadril e coluna aumentam a sobrecarga na coluna. A principal função da musculatura ao redor da coluna lombar é estabilizar a coluna, de forma a fornecer uma boa base de apoio para os movimentos das pernas.

Assim, quando existe fraqueza desta musculatura, o movimento que normalmente seria realizado no quadril passa a ser feito na coluna, aumentando a sobrecarga local e favorecendo o aparecimento de dores e lesões.

Da mesma maneira, limitações da mobilidade do quadril aumentam ainda mais esta transferência de movimentos e, por isso, é algo que também ser sempre avaliado.

Como é o tratamento da lombalgia Mecânica?

Fase aguda

O tratamento na fase aguda envolve as seguintes medidas:

• Afastamento esportivo ou, ao menos, a adequação da carga de treino dentro do limite de dor;

• Uso de medicações anti-inflamatórias e analgésicas;

• Uso de imobilizadores ou cintas, por curto prazo;

• Fisioterapia analgésica, na qual se utiliza de recursos de eletrotermofototerapia;

• Fisioterapia manipulativa e massagem terapêutica também são boas opções nestes casos.

Dor crônica

Fora dos períodos de agudização da dor, o foco no tratamento está em corrigir a causa do problema, e envolve, entre outras coisas:

Fortalecimento e reequilíbrio muscular, buscando-se a estabilização da musculatura lombar (CORE), o ganho de mobilidade no quadril e a correção
Agende sua consulta