Lesões do quadríceps

O quadríceps é um dos maiores grupos musculares do corpo, localizado na parte da frente da coxa. É formado por quatro músculos: vasto medial, vasto lateral, vasto intermédio e reto femoral. Estes músculos têm uma inserção em comum na patela, através do tendão patelar, e todos iniciam abaixo do quadril, exceto um deles: o reto femoral.

O reto femoral tem origem na pelve, de forma que cruza duas articulações: o quadril e o joelho. Por este motivo, é o mais vulnerável a lesões.

Como ocorrem as lesões do quadríceps?

A maior parte das lesões musculares que acometem o quadríceps ocorrem após uma aterrizagem mal-executada de um salto, quando se cai com o joelho mais dobrado do que o habitual e se força o joelho em hiperflexão. Atletas envolvidos com esportes de saltos, como a ginástica, o skate, o volei ou mesmo o futebol estão especialmente vulneráveis a estas lesões.

Pessoas acima dos 40 anos apresentam uma deficiência relativa na resistência do quadríceps sendo mais frequentemente acometidas por esta lesão.

O que o paciente sente após uma lesão do quadríceps?

A maior parte das lesões acometem o músculo retofemoral, com os demais músculos do quadríceps permanecendo íntegros. Assim, não costuma haver a retração da musculatura do quadríceps e o tendão quadriceptal mantém sua fixação na patela. Lesões mais extensas eventualmente evoluem com um “buraco” causado pela ausência da musculatura, que fica retraída.

O retofemoral atravessa tanto a articulação do quadril como do joelho, de forma que tanto o movimento de esticar o quadril como de dobrar o joelho provocam a dor.

Tratamento

A maioria das lesões do quadriceps responde bem ao tratamento não cirúrgico, sendo as fraturas por avulsão óssea uma possível exceção a isso. No momento inicial, A aplicação de gelo com intervalos de uma hora e a compressão local ajudam a controlar o sangramento e a inflamação. Muletas podem ser indicadas de acordo com a intensidade da dor.

O uso de anti-inflamatórios por não mais do que três a cinco dias também deve ser considerado. A fisioterapia deve ser iniciada assim que possível. Mesmo pacientes com lesão completa de um dos músculos do quadríceps podem ser adequadamente tratados de forma não cirúrgica. Eventualmente, o paciente evolui com uma deformidade muscular na coxa em decorrência da retração muscular.

Ainda assim, a musculatura acaba por se aderir ao restante da musculatura do quadríceps e tem sua função preservada. De fato, atletas de modalidades como o vôlei eventualmente apresentam uma sequela de lesão como estas e continuam atuando em alto rendimento.

Passada a fase aguda, o objetivo é fornecer condições para que a musculatura cicatrize, ao mesmo tempo em que se minimiza a perda da força e da função da musculatura. Os exercícios são introduzidos gradualmente até o retorno esportivo pleno.

A espectativa de retorno para os esportes varia conforme a extensão da lesão:

• Lesões Grau I: 1 a 2 semanas;

• Lesões Grau II: 4 a 6 semanas;

• Lesões Grau III: 2 a 3 meses.
Contato
(11) 940107988
Whatsapp