Implicações ortopédicas da cir. bariátrica | Dr João H.

Implicações ortopédicas da cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica engloba um conjunto de procedimentos que buscam a redução das dimensões do estômago ou alguma forma de alterar o trânsito do bolo alimentar pelo intestino, para com isso reduzir a quantidade de calorias absorvidas e favorecer a perda de peso.

Os benefícios são imediatos, com perdas de peso que frequentemente chegam a 40% do peso corporal total ou mais, com perda máxima após aproximadamente dois anos da cirurgia. Esta perda de peso leva secundariamente a uma melhora de outros problemas diretamente relacionados à obesidade, como diabetes, hipertensão arterial, colesterol e os problemas respiratórios e cardíacos. Muitos pacientes ficam livres de medicações que utilizaram durante décadas.

A menor absorção de nutrientes, porém, faz com que problemas nutricionais como anemia, deficiência de ácido fólico, cálcio e vitamina B12, ou até mesmo desnutrição possam se desenvolver em decorrência da cirurgia. Desta forma, o procedimento deve ser realizado apenas após vários meses de tentativa sem sucesso de emagrecimento por meio de dieta adequada e prática regular de exercícios físicos.

Dor pós cirurgia bariátrica

Em estudo publicado no Journal of American Medical Association (JAMA) em 2016, realizado com 2221 pacientes submetidos a diferentes tipos de cirurgia bariátrica, foi observado mehora das dores, um ano após a cirurgia, em 57,6% dos pacientes, com melhora da função em 76,5%. Em pacientes com dor grave no joelho ou quadril, a melhora foi observada em 77,1% e 79,2%, respectivamente.

Ainda que a melhora tenha ocorrido na maior parte dos pacientes, o número de pessoas que permaneceram com dor ou até pioraram é considerável, e maior do que seria de se esperar frente à substancial perda de massa gorda observada. Isso pode ocorrer por dois motivos:

- Junto com a perda de gordura, o paciente perde uma quantidade significativa de massa muscular. Em média, 20% da perda total de peso decorre da perda de musculatura, mas estes números podem ser ainda maior, a depender da técnica cirúrgica utilizada, de eventuais deficiências nutricionais e da falta de atividades físicas.

- Com a melhora das condições de saúde gerais do paciente (diabetes, hipertensão arterial, capacidade cardiovascular) o paciente sente-se em condições de levar uma vida mais ativa. A sobrecarga e o desgaste nas articulações, que antes não eram o fator limitante para uma vida mais ativa, agora passa a ser.

Atividade física pós cirurgia bariátrica

A atividade física trás diversos benefícios para o paciente submetido a cirurgia bariátrica, além de minimizar a perda de massa muscular:

• Reduz a pressão arterial e o risco de eventos cardiovasculares, como infarto e AVC (além da redução de risco já esperada pela simples perda de massa gorda);

• Reduz as taxas de colesterol, triglicerídeos, glicose, e aumenta o HDL-colesterol, que é considerado o “bom colesterol”;

• Melhora o condicionamento físico, a mobilidade, a qualidade de vida e o sono;

• Reduz o risco de complicações cirúrgicas;

• Promove uma melhor recuperação pós-operatória.

Em função do aumento da pressão abdominal com determinados tipos de exercícios, as atividades físicas nos primeiros dois meses devem ser discutidas com o cirurgião, que indicará as restrições necessárias. Isso dependerá da técnica cirúrgica utilizada, e se a cirurgia foi realizada de forma aberta ou por videolaparoscopia.

Passado este período, as atividades físicas seguem as mesmas recomendações já discutidas no artigo sobre atividades físicas em pessoas obesas.

Atividades físicas em pessoas obesas:

• Devem envolver tanto exercícios aeróbicos como de força, com priorização dos exercícios de força;

• Inicialmente, deve-se dar preferência para atividades de baixo impacto, sempre respeitando o condicionamento físico individual. A progressão dos exercícios deve ocorrer dentro do condicionamento e da capacidade física do paciente;

• Deve ser uma atividade que agrade o paciente e que seja factível a longo prazo, já que a resposta não costuma ser imediata.

Tratamento da dor após a cirurgia bariátrica

O tratamento da dor após a cirurgia bariátrica deve envolver, principalmente:

• Identificação e correção de eventuais distúrbios nutricionais que possam estar contribuindo para a perda de musculatura;

• Estímulo à prática de atividades físicas, conforme as recomendações acima.

A artrose e, mais especificamente, a artrose no joelho, é bastante comum em pacientes super-obesos. O tratamento específico da artrose, porém, deve ser colocado em segundo plano e relação às medidas discutidas acima.
Agende sua consulta