Atividade física na puberdade

O que é a puberdade?

Puberdade é a fase da vida na qual o corpo passa por um processo de amadurecimento, com a criança se transformando em um adulto capaz de reprodução sexual. Além da maturação dos órgãos sexuais, há, também, um rápido desenvolvimento de quase qualquer órgão do corpo, incluindo o cérebro, ossos e músculos. O crescimento físico em altura e peso é um dos sinais mais prontamente reconhecidos da puberdade.

Transformações físicas na puberdade

Maturação sexual

Durante a puberdade, os órgãos sexuais sofrem grandes transformações, tanto internamente como externamente. Estas transformações acontecem de forma gradativa e passam por diversos estágios, denominados de estágios de tunner.

Estirão de crescimento

As crianças crescem em surtos, com crescimento mais rápido em alguns momentos da infância e mais lento em outros. Essas variações são, em grande parte, responsáveis ​​pelas diferenças de tamanho entre crianças da mesma idade. Um dos principais “estirões de crescimento” ocorre justamente durante a puberdade, quando ocorre cerca de 25% do crescimento em altura.

Embora meninos e meninas tenham, geralmente, a mesma altura durante a meia-infância, isso muda com o início da puberdade. As meninas tendem a entrar na puberdade mais precocemente, de forma que apresentarão o estirão do crescimento também de forma mais precoce. Particularmente no ensino médio, as meninas costumam ser mais altas que seus colegas de classe do sexo masculino, mas em um ou dois anos os meninos alcançam e, normalmente, superam as meninas.

O crescimento de meninos e meninas diminui consideravelmente logo após a conclusão da puberdade. Uma vez terminado o período de desenvolvimento, a maioria dos adolescentes não cresce mais do que um centímetro ou dois.

Desenvolvimento cerebral

O cérebro passa por um intenso processo de maturação e desenvolvimento durante a puberdade. Em função disso, a criança desenvolve uma série de capacidades e habilidades que terão influência direta sobre o treinamento e a prática esportiva.

Entre estas, incluem-se:

• Gerenciar a estabilidade emocional;

• Aprender com os erros;

• Refletir cuidadosamente antes de tomar decisões e escolhas;

• Fazer planos de longo prazo para alcançar metas;

• Avaliar risco.

Desenvolvimento musculoesquelético

A quantidade de tecido ósseo acumulado entre 11 e 13 anos é equivalente ao que é perdido nos 30 anos após a menopausa. Isso pode variar de acordo com o estilo de vida da criança, principalmente em relação à nutrição, atividade física e exposição solar.

O desenvolvimento de bons hábitos quando jovens ajudará as crianças a terem ossos fortes e saudáveis ​​durante toda a vida: o aumento de 10% de massa óssea na criança leva a uma redução de 50% no risco de fratura por osteoporose na vida adulta, e meninas fisicamente ativas ganham cerca de 40% mais massa óssea do que meninas inativas da mesma idade.

Composição corporal

Durante a infância, meninos e meninas apresentam diferenças pouco significativas em relação à composição corporal. Isso muda bastante durante a puberdade:

• Nas meninas, a quantidade de massa muscular torna-se estável a partir de aproximadamente, 12 anos, enquanto o acúmulo de gordura aumenta. Isso resulta em um aumento de aproximadamente 25% na porcentagem de gordura corporal após a puberdade;

• Nos meninos não há aumento significativo de acúmulo de gordura, mas há ganho de massa muscular;

• Ao final da puberdade, os homens possuem aproximadamente 1,5 vezes mais músculos do que as mulheres e as mulheres apresentam o dobro de gordura corporal total.

O adequado controle de peso nesta idade é essencial tanto para o desempenho esportivo como para a manutenção da saúde ao longo da vida.

• A preocupação com o peso corporal faz com que dietas restritivas e distúrbios alimentares sejam frequentes, podendo comprometer a saúde dos ossos. Esta é uma preocupação ainda maior quando a criança está envolvida com esportes como o ballet ou a ginástica, em que a preocupação com o peso corporal é uma constante;

• O excesso de acúmulo de gordura também deve ser uma preocupação, uma vez que crianças com grande acúmulo de gordura durante a puberdade têm alta probabilidade de se tornarem adultos obesos e, por consequência, desenvolverem doenças como hipertensão arterial ou diabetes.

Força muscular

Embora a força de meninos e meninas seja essencialmente igual durante a pré-adolescência, diferenças hormonais durante a puberdade são responsáveis ​​por uma aceleração no ganho de massa muscular e força entre os meninos, o que acontece em proporção muito menor com as meninas. Vale aqui considerar que, durante períodos de crescimento rápido, o músculo aumenta primeiro em massa e, mais tarde, na sua capacidade de expressar força.

Desempenho atlético durante a puberdade

A passagem pela puberdade impacta de forma significativa no desempenho atlético, de maneiras positivas e negativas. Por um lado, o aumento no tamanho corporal, hormônios e força muscular proporciona um melhor desempenho atlético. A maturação cerebral aumenta a capacidade de concentração e tomadas de decisões.

A compreensão de táticas de jogo aumenta significativamente, de forma que este é um momento especialmente favorável para o aprendizado tático.

Durante a infância, ao jogar futebol, a criança, basicamente, corre atrás da bola. Após a puberdade, a capacidade de absorver informações táticas, de posicionamento em campo ou de tomadas de decisões, poderá ser treinada com maior ênfase.

Por outro lado, pode haver um declínio temporário nas habilidades de equilíbrio e controle do corpo e um maior risco de lesões. Aumentos rápidos de altura e peso alteram o centro de gravidade do corpo. O cérebro precisa de tempo para se adaptar às mudanças de altura e peso, de forma que o adolescente tende a ficar um tanto "desajeitado" durante este período de adaptação.

Isso será especialmente perceptível em esportes que exigem equilíbrio e controle corporal, como é o caso do futebol, ballet, ginástica e muitos outros esportes de quadra.

Risco de lesões

O atleta juvenil apresenta risco aumentado para lesões durante a puberdade, por diversos motivos:

• A falta de equilíbrio e coordenação, característica desta fase da vida, faz com que entorses (especialmente do joelho ou tornozelo) tornem-se mais frequentes.

• A musculatura demora certo tempo até se adaptar ao novo corpo mais alto, mais pesado e mais rápido. O risco de lesões musculares, desta forma, torna-se maior.

• A placa de crescimento dos ossos, que é a região responsável pelo crescimento longitudinal dos ossos, é particularmente vulnerável durante esse período rápido de crescimento. Estas placas encontram-se espessadas e especialmente ativas, de forma que o risco, tanto para lesões traumáticas (fraturas por avulsão) como para lesões por esforços repetitivos, (osteocondroses, como a doença de Sever ou Doença de Osgood-Schlatter) será elevado.

• Nos esportes de equipe, a condição física dos atletas é muito variável. Ainda que todos tenham a mesma idade, uns terão o corpo de uma criança, outros estarão passando pela puberdade e outros já terão o corpo de uma pessoa adulta. Os treinadores, na busca por resultados, tendem a programar o treino de acordo com a condição física dos atletas que mais se destacam, geralmente aqueles que tiveram uma puberdade mais precoce. O risco de lesão para aqueles que “vêm atrás”, desta forma, será maior.
Contato
(11) 98865-7635
Whatsapp